Quanto custa anunciar no Google?

O custo para anunciar no Google vai depender da quantidade de cliquesimpressões ou conversões você tiver no seus anúncios ou campanhas. Os anúncios são cobrados por CPC (custo por clique), CPM (custo por mil impressões) ou CPA (custo por aquisição ou custo por conversão), sendo que estas modalidades variam do tipo de anúncio e objetivo de marketing configurado em suas campanhas. Como é possível determinar o orçamento diário ou mensal de sua campanha, então o custo para anunciar no Google vai ser o valor que você esteja disposto a investir.

Quais são os modelos de cobrança do Google Ads?

Anunciar no Google Ads (antigo Google Adwords) é muito barato em relação à outras plataformas de mídia. Para abrir uma conta é totalmente gratuito, e o valor mínimo é muito baixo, o que depende da forma de cobrança configurada. Existem duas maneiras de cobrança: pagamentos manuais ou pagamentos automáticos.

Nos pagamentos manuais, deve-se colocar um saldo pré-pago na sua contado Google Ads, que pode ser feito através de boleto bancário ou cartão de crédito. A ferramenta não aceita um valor de investimento inferior a R$ 40,00.

Veja também:

Já os pagamentos automáticos funcionam de outra maneira: ao configurar a forma de pagamento e fazer o primeiro investimento, o Google Ads irá determinar um valor específico para iniciar (normalmente muito baixo), e conforme forem os gastos os pagamentos vão sendo debitados no cartão de crédito definido. Uma vez que o consumo da conta bate o limite de faturamento, é feito uma nova cobrança (esse valor aumenta conforme o tempo de conta), ou se não atingir tal limite, o Google irá fazer a cobrança a cada ciclo de 30 dias. Você pode encontrar mais detalhes na central de ajuda do Google Ads, clicando no link https://support.google.com/google-ads/answer/6311?hl=pt-BR.

 Ainda existem outras opções de pagamento, como por exemplo o pagamento pós-pago, mas que só é liberado para contas grandes, definidas pelo próprio Google Ads.

Quanto investir no Google Ads?

Antes de mais nada, é preciso entender como o Google realiza pelos anúncios. A maneira mais comum é a cobrança por CPC, ou seja, o custo por clique recebido. É possível em alguns casos também configurar para que a cobrança seja feita por CPM (custo por mil visualizações de anúncio) ou por CPA (custo por cada aquisição), este último liberados apenas em algumas situações e contas. Existe a estratégia onde é possível determinar um CPA ou ROAS (retorno de investimento sobre publicidade), mas essa é uma estratégia de direcionamento do investimento, sendo a cobrança no final realizada por CPC.

Sabendo que a cobrança normalmente é feita por CPC, é possível pensar de duas formas: por meio de uma meta ou por meio do orçamento.

Orientar o investimento através de uma meta

Neste caso estipular uma meta de vendas e a partir dai fazer o cálculo de quanto precisa ser investido. O valor a ser investido vai depender de fatores como tíquete médio, taxa de conversão e CPC.

No exemplo acima estipulamos uma receita (nos casos de lojas virtuais) ou conversões (sites, landing pages, etc) como meta. A partir daí consideramos a conversão de 1% e um CPC de R$ 0,25. Fazendo as contas, para atingir R$ 100.000 em vendas ou 200 conversões, temos que investir R$ 5.000 reais.

Orientar o investimento pelo orçamento

Pegando o exemplo acima, vamos supor que não há disponível a quantia de R$ 5.000 para investimento, e sim apenas R$ 3.000. Sendo assim, podemos fazer um cálculo ao contrário, orientado pelo limite de orçamento. Considerando os mesmos parâmetros, vamos ter o seguinte:

Como funciona o custo do CPC?

O custo do CPC no Google Ads é determinado entre uma combinação de um leilão e o índice de qualidade dos anúncios. No caso do leilão, quem paga mais teoricamente fica melhor posicionado na busca, alcançando a primeira posição. No entanto, se o anúncio outro anúncio tiver uma qualidade superior, é muito provável que ele uma posição mais elevada, mesmo pagando um custo por clique menor. Desta forma o Google mantem a pesquisa sempre relevante para o usuário, entregando sempre o melhor resultado de busca.

Através do planejador de palavras-chave do Google (Keyword Planner), é possível ter uma estimativa do custo por palavra-chave.

Veja que para exibir anúncios na parte superior da página para o termo “desentupidora” o custo do clique é de R$ 50,70. Por isso é importante focar na qualidade do anúncio e em ter uma boa estratégia de palavras-chave, trabalhando com palavras de calda longa.

Saiba a margem e lucratividade na ponta do lápis

Determinar o investimento de mídia é mais complexo do que se imagina. É preciso levar em conta não apenas quanto custa o clique, mas quantos cliques são necessários para converter uma venda e qual a margem do seu produto ou serviço.

Por exemplo: se você precisa de 100 cliques ao custo de R$ 0,25 para vender um produto de R$ 1000, seu investimento será de R$ 25, o que corresponde 3% da receita do produto. Já se você gasta os mesmos 25 reais mas vende um produto de R$ 100, o investimento foi de 25%.

Por isso é extremamente importante analisar a margem por produtos, categorias, marcas e outros parâmetros, cruzar com o custo por cada aquisição (CPA) e o CPC.

Como anunciar no Google?

Para anunciar no Google basta abrir uma conta gratuita no Google Ads (antigo Google Adwords), fazer as configurações da empresa e de pagamento, configurar a campanha, grupo de anúncios e os anúncios, definindo o orçamento da campanha, estratégia de lances e a segmentação dos anúncios. Pelo Google Ads é possível anunciar na pesquisa do Googlerede de sites parceiros do GoogleYouTubeaplicativo, entre outros locais. O pagamento normalmente é feito por clique e o anunciante possui o controle sobre o orçamento, definindo quanto quer gastar e o período de exibição do anúncio.

Como o Google Ads funciona?

Para começar a divulgar no Google você vai precisar ter uma conta no Google Ads (antigo Google Adwords), a plataforma de publicidade nos serviços do Google. Através dela é possível anunciar em todos os serviços do Google, como a busca do GoogleGoogle ShoppingGoogle Mapsaplicativos AndroidYouTuberede de sites parceiros do Google, entre outros serviços que permitem anúncios.

Google Ads possui interface onde é possível fazer a inserção das campanhas e anúncios, palavras-chave, públicos, segmentações e demais configurações, assim como determinar o posicionamento, orçamento da campanha e lances. Ela também permite cadastrar praticamente todos os ativos necessários para rodar as campanhas, além de fazer a integração de plataformas e outras configurações avançadas.

Os anúncios no geral são comercializados por cliques (CPC): ao exibir um anúncio na busca e o mesmo receber um clique de um usuário, paga-se o valor daquele clique para o Google.  Se um anúncio na busca do Google é visto, porém não é clicado, não há custo. Existem também outro modelo de cobrança, como por visualizações (normalmente anúncios de vídeo) e por conversão (campanhas de display).

O que determina o valor do clique é o leilão. Ao criar um anúncio, determina-se um lance. Se o lance do anunciante é maior que o seu concorrente, seu anúncio ganha o leilão e é exibido. Porém não é apenas o lance que faz um anúncio ganhar o leilão: a qualidade do anúncio é peça fundamental para o cálculo do anúncio que deve ser exibido para o usuário.

Veja também:

Sobre a organização do Google Ads

Uma conta do Google Ads é dividida hierarquicamente nos níveis de campanhagrupo de anúncio anúncio:

Nível de campanha

Este nível é responsável pelas configurações gerais da campanha e por agrupar os conjuntos de anúncio. No geral, a campanha é responsável por determinar o objetivo, tipo e canal (posicionamento) onde os anúncios serão exibidos, assim como definir segmentações, idioma, orçamento e estratégia de lance.

Dependendo do tipo de campanha tais configurações podem estar disponíveis também no grupo de anúncios. Existem ainda configurações mais avançadas e específicas de cada tipo de campanha.

Nível de grupo de anúncios

Embaixo do nível de campanha, os grupos de anúncios agrupam os anúncios. Suas configurações variam muito de acordo com o tipo de campanha escolhido. No geral, ele é responsável por organizar diferentes tipos de anúncios, agrupando diferentes anúncios para uma mesma segmentação.

Nível de anúncios

É neste nível que são configurados os anúncios que serão publicados e vistos pelos consumidores. Cada grupo de anúncios permite agrupar diferentes anúncios, entregando-os de maneira distribuída.

Navegando no Google Ads

A interface de navegação do Google Ads foi totalmente reformulada há alguns anos, quando a ferramenta ainda se chamava Google Adwords.

  • A coluna da esquerda permite facilmente navegar entre as campanhas e grupos de anúncios da conta;
  • Logo depois dela, existe uma outra coluna que permite navegar pelas informações da contacampanha ou grupo de anúncios – depende do que estiver selecionado;
  • O conteúdo central exibe as informações da visão selecionada. Cada visão possui informações bem específicas, e com exceção da visão geral e recomendações, no geral ela apresentará um gráfico, filtros e o conteúdo em formato de tabela. É possível acrescentar e retirar colunas com as métricas desejadas;
  • Na parte superior temos uma área de relatórios e outra de ferramentas e configurações. Na parte das ferramentas e configurações é possível acessar todos os recursos da conta (como públicos e listas de palavras negativas), fazer configurações e integrações entre contas e acessar os dados de faturamento.

Quanto custa fazer anuncio no Google?

No Google Ads o anunciante possui total controle sobre o orçamento que quer investir, bastando apenas configurar o orçamento no nível da campanha. Então podemos dizer que para divulgar no Google o anunciante pode pagar o que quiser.

Mas o que de fato vai definir se o anúncio será exibido ou não para um usuário é se ele está vencendo o leilão, composto principalmente do lance ajustado na campanha e qualidade do anúncio. O anúncio que for o mais competitivo, deve aparecer em primeiro naquele determinado momento, e depois vem os menos competitivos.

Para definir o quanto se deve investir no Google é preciso antes saber claramente qual o objetivo e meta a ser alcançada. Por exemplo, se você sabe que para realizar 1 venda são necessários em média 100 cliques em um anúncio, e se o valor médio de cada clique custa R$ 0,25, então para ter uma venda você precisa investir R$ 25,00. Se sua meta dentro de um mês é obter 100 vendas, então o valor a ser investido deverá ser de R$ 2.500.

Saiba mais quanto custa anunciar no Google clicando neste link.

Google Ads Editor

Além da interface online do Google Ads, existe um programa que pode ser baixado no computador para a criação e edição de maneira off-line. O programa chamado de Google Ads Editor permite criar e fazer alterações em campanhas em massa, proporcionando rapidez e facilidade.

Apesar de ser um software bastante útil, o Google Ads Editor pode não ser muito prático na hora de analisar os dados das campanhas para realizar otimizações. Neste caso o mais indicado é usar a interface web do Google Ads.

Para fazer o download do Google Ads Editor basta clicar neste link.

Vantagem de utilizar o Google Ads

Fazer propaganda no Google é uma das formas mais efetivas de se fazer marketing digital. Não só pelo fato de se pagar apenas pelos cliques (no geral), mas também pelo alcance: o Google é o mecanismo de busca mais usado no mundo; o YouTube é o segundo site mais utilizadoo sistema Android está na maior parte dos dispositivos mobile; a rede de sites parceiros é enorme.

– Pague por clique

No geral paga-se apenas pelos cliques que receber no anúncio.

– Controle o quanto vai pagar

Basta definir o orçamento da campanha.

– Vasta área de cobertura

Líder como mecanismo de pesquisa, o maior site de vídeos (YouTube), a maior rede de sites parceiros que exibem anúncios e também o sistema operacional mais utilizado nos dispositivos mobile (Android).

– Presença em toda jornada de compra

É possível impactar o consumidor em praticamente todos os passos de sua jornada de compra, desde a descoberta, consideração e decisão.

– Facilidade de mensuração

O Google Ads é rico em informações sobre o desempenho e previsões para campanhas, além de se integrar com o Google Analytics e outras ferramentas.

– Traz resultado

Ao operar a ferramenta de maneira estratégica, o potencial de resultado é enorme.

Principais formatos e canais de anúncios do Google

Engana-se quem acredita que fazer propaganda no Google se restringe apenas ao mecanismo de pesquisa. De fato, a pesquisa do Google é uma das ferramentas mais poderosas, visto que os anúncios impactam justamente quando um usuário busca por uma palavra-chave, ou seja, demonstra um intensão. Mas a publicidade no Google vai muito além disso: o Google é dono do YouTube, do sistema Android e possui uma infinidade de sites parceiros, que exibem banners promovidos pelo Google.

Busca do Google

São os anúncios exibidos quando um usuário faz uma busca por alguma informação no Google. É um dos formatos mais relevantes e de maior resultado, pois impacta a pessoa quando ela está buscando por alguma informação – ou seja, tem intensão de algo.

Na busca é possível fazer os clássicos anúncios de texto, também chamados de links patrocinados. Pela semelhança com o resultado natural (chamado de orgânico), costuma trazer muito resultado.

Outro formato muito relevante é o anúncio de Google Shopping, onde são exibidos produtos com foto e preço. Esses produtos levam o possível cliente para a loja virtual do anunciante e é uma das formas mais eficazes de anunciar produtos na internet.

Existem também outros formatos de anúncio na busca do Google, como anúncios que aparecem no Google Maps e até de cadastros, formato novo que o Google está testando.

Além disso tudo, o há sites e portais que utilizam o mecanismo de pesquisa do Google em seu site, como o caso do site da UOL por exemplo. Ao fazer uma busca no UOL, o resultado de pesquisa vem do Google, e é sinalizado no canto com o termo “Powered by Google”. Esses sites + a busca do Google compõe a rede de parceiros de pesquisa do Google.

Google Shopping

Como foi dito, os anúncios de Google Shopping são estratégicos para quem vende algum tipo de produto através de lojas virtuais. Este formato de anúncios permite exibir produtos quando um usuário faz uma busca por algum termo no Google, e quando o mecanismo de busca percebe que há um intensão de busca de produto, exibe os anúncios de Google Shopping.

Por exibir o a fotodescrição preço do produto, o usuário que clica sabe que está visitando um site de compras, e por isso a taxa de conversão tende a ser maior.

O Google Shopping também possui uma aba exclusiva nos filtros de pesquisa do shopping, com uma experiência completa e que permite busca facilmente por produtos e comparar preços. Os anúncios de shopping também são exibidos no Google Images, onde a foto do produto é o que tem maior destaque e entrando no contexto do recurso de busca.

Para anunciar no Google Shopping, é preciso que o anunciante tenha uma conta no Google Merchant Center, programa que permite a integração do catálogo de produtos do lojista. O meio mais comum de integração é através de um arquivo XML com a lista de produtos. Também é possível integrar uma planilha do Google com os produtos, fazer uma integração via API ou utilizar a detecção automática de produtos, que funciona quando um site de vendas possui a estrutura correta de informações em suas páginas de produtos.

Uma vez que o catálogo de produtos é inserido, é preciso criar o anúncio lá dentro do Google Ads. Pra isso, o Google Ads e o Google Merchant precisam estar integrados – o que é algo muito simples e rápido por sinal.

Google Shopping tem ido muito além da pesquisa do Google: ele também exibe produtos na rede de sites parceiros do Google (ou rede de display), através de banners dinâmicos. Os produtos também aparecem no YouTube, normalmente espalhados pela plataforma, entre os vídeos.

Rede de sites parceiros do Google

Além da rede de pesquisa, temos também a rede de sites parceiros do Google, que são sites que exibem anúncios do Google em troca de monetização pelo Google AdSense. A rede de sites parceiros também é conhecida como rede de display (por exibirem banners), rede de conteúdo (por serem normalmente sites de conteúdo), ou GDN (Google Display Network).

O formato mais utilizado é a exibição de banners em sites de conteúdo, aplicativos e no próprio YouTube. Você já deve ter visto anúncios do tipo em portais de conteúdo como Terra, UOL, etc. Ao contrário da pessoa, o usuário está consumindo algum tipo de conteúdo e ao é impactado por algum anúncio.

rede de display é muito vasta, composta de inúmeros sites, dos mais diversos tipos de conteúdo. Este ecossistema permite que o anunciante segmente suas campanhas para exibir em sites que falam sobre determinados assuntos e para atingir os públicos que atendem determinadas características, como sexo, local, idade, etc.

É uma mídia geralmente usada para gerar consciência de marca e também para fazer remarketing, que é uma forma de reimpactar um usuário que tenha interagido com o seu site, anúncio de vídeo, aplicativo, etc.

YouTube Ads

YouTube é a maior plataforma de vídeos da atualidade e foi comprada pelo Google já faz um bom tempo. Com os anúncios de vídeo em alta, ele se tornou um dos principais canais de divulgação para gerar consciência de marca e consideração de compra. Os anúncios de vídeo são muito mais ricos que os anúncios de display, e podem ter uma eficácia muito para fazer branding ou performance.

Os principais formatos de vídeo ads são o in-stream e o discovery.

  • Vídeo in-stream: São os vídeos exibidos antes, depois ou durante um vídeo publicado no YouTube. São ideias para promover conhecimento de marca, consideração e conversão em compras.
  • Vídeo discovery: São vídeos exibidos com sugestão na navegação do YouTube. Normalmente eles são exibidos em algum vídeo “orgânico” com conteúdo similar. Normalmente um usuário clica no vídeo discovery quando ele quer saber mais sobre um determinado assunto.

Existem outras variações de anúncios, relacionados com os dois formatos citados. Uma das variações são os vídeos TrueView for Action, que são vídeos com chamada de ação, levando o usuário para realizar uma visita, cadastro ou mesmo uma compra em um site.

Aplicativos

Os anúncios de aplicativo tem como objetivo promover instalações ou ações em determinado aplicativo, que deve já estar integrado na conta do Google Ads. Além das principais segmentações, os anúncios de aplicativo são exibidos na rede de pesquisadisplayYouTube e Google Play (loja de aplicativos do Google).

Como fazer um anúncio no Google?

Depois de criar uma conta no Google Ads, o próximo passo é criar o seu primeiro anúncio. Os passos abaixo levam em conta a criação de um anúncio genérico de texto. Outros formatos de anúncios podem exigir etapas adicionais, facilmente configuradas na plataforma de anúncios do Google.

1. Definindo o tipo de campanha

Para criar uma nova campanha basta clicar no botão azul e selecionar a opção nova campanha. Em seguida você deve selecionar a meta da campanha e o tipo de campanha. Ao escolher uma meta específica – como vendas, leads, tráfego, etc. – o Google Ads vai apresentar os tipos de campanha que mais fazem sentido para a meta escolhida. Se você quiser ver todos os tipos de campanha, clique em “criar campanha sem meta”.

2. Fazendo as configurações gerais

Na próxima tela você vai realizar as principais configurações das campanha:

  • Definição de nome;
  • Rede onde será exibido (pesquisa ou display);
  • Local de exibição;
  • Idioma;
  • Público-alvo;
  • Orçamento da campanha;
  • Estratégia de lance;
  • Extensões do anúncio.

Existem configurações que estão ocultas e aparecem clicando em “mostrar mais configurações”. Para o caso de uma campanha de texto, você pode definir o tipo de conversãoprogramação de anúncios e rotação de anúncios, que define como os anúncios serão distribuídos.

3. Configuração do grupo de anúncio

A divisão de grupos de anúncios é importante para organizar a campanha e principalmente para configurar a segmentação que faça mais sentido para os anúncios que serão apresentados. No caso de uma campanha de texto, é nesta etapa que as palavras-chave serão inseridas. Recomenda-se agrupar as palavras similares em grupos de anúncios, pois assim os anúncios poderão ter mais relevância de acordo com a pesquisa que o usuário fizer.

4. Configuração dos anúncios

Por último é necessário inserir os anúncios, onde cada tipo de campanha possui configurações bem específicas. No caso da campanha de texto, aparecem campos para preenchimento de cada parte do anúncio:

  • URL final: define a página para onde o anúncio deve direcionar o usuário;
  • Título: são 3 posições, que podem ser exibidos em configurações diferentes, dependendo do contexto;
  • Caminho de exibição: é como o link do anúncio será exibido (não precisa ser o link real da página de destino);
  • Descrição: são 2 posições de descrição, que podem ser exibidas em configurações diferentes dependendo do contexto.

No geral, o Google recomenda o uso de 3 anúncios por cada grupo de anúncios pois ele poderá testar e ver qual anúncio é mais relevante e gera mais resultado para o usuário.

Como anunciar no Google de forma profissional?

Se você precisa anunciar sua empresa no Google de uma maneira totalmente profissional e com alto potencial de resultado, a Upster é a solução. Somos especialistas e certificados Google Partner. Trabalhamos com um trabalho de gestão de anúncios diferenciado e com foco em gerar resultados, seja fortalecer a sua marca, deixar seu produto ou serviço mais conhecido, gerar cadastros, pedidos de orçamento e vendas.

Entre em contato com um de nossos especialistas e saiba mais o que podemos fazer para alavancar a sua empresa!

Quanto custa anunciar no Facebook?

O custo de fazer um anúncio no Facebook ou Instagram varia de acordo com a quantidade de cliques ou impressões que ele receber, pois a cobrança feita pelo Facebook Ads (programa de publicidade no Facebook e Instagram), no geral, é feita por CPC (custo por clique) ou CPM (custo por cada mil impressões). Como nesta plataforma o usuário tem controle sobre o orçamento que será utilizado, então podemos dizer que o custo de anunciar no Facebook é determinado pelo próprio usuário.

Exemplo: se o usuário definir o orçamento de R$ 100 para um determinado anúncio e o custo para cada clique for definido como R$ 0,25, então este anúncio poderá ter 400 cliques.

Como é feito o cálculo do custo de anúncio no Facebook?

No geral, o Facebook Ads cobra o anunciante pela quantidade de cliques ou visualizações (impressões) recebidas por um anúncio. A definição da modalidade de cobrança é feita diretamente no conjunto de anúncios e as opções variam de acordo com o objetivo da campanha. Há campanhas inclusive que podem ser cobradas pela quantidade de visualizações da página de destino ou a quantidade de cadastros recebidos, quando se trata de um anúncio na modalidade lead ads. Mesmo assim a base de cálculo é feita em cima de cliques e impressões.

O valor a ser pago um anúncio é definido por dois fatores:

  • Pelo orçamento
  • Pelo lance

lance é o valor que se deseja pagar por cada resultado objetivo. Ex.: “quero pagar R$ 0,25 por cada clique no anúncio”. Já o orçamento é a verba disponível os anúncios. Na prática, se o seu orçamento é de R$ 100 reais e o lance desejado é de R$ 0,25 por clique, a campanha tem a previsão de chegar à 400 cliques.

Mas por que previsão? Por que, depois e rodar a campanha, o Facebook Ads pode ou não consumir todo o orçamento da campanha e/ou entregar exatamente o lance desejado. Tudo vai depender do leilão: se o seu lance for muito abaixo dos concorrentes, sua campanha pode não alcançar pessoas o suficiente para consumir todo o orçamento.

Veja também:

Como funciona o leilão de anúncios no Facebook?

O formato de “leilão” é muito utilizado pelo mercado de mídia online como forma comercializar o inventário de mídia disponível. Na prática, podemos simplificar que ganha o leilão é o anunciante “que paga mais”. É uma forma das plataformas de mídia como Google Ads e Facebook Ads determinarem o melhor anúncio no melhor momento para determinado usuário.

Mas não é só quem paga mais (por lance) que ganha o leilão. Com o objetivo de entregar anúncios relevantes, o leilão leva em consideração outros fatores:

  • Lance: trata-se do valor que o anunciante está disposto a pagar por cada resultado obtido;
  • Taxa de ação estimada: é a estimativa de engajamento ou resultado estimado de um anúncio;
  • Qualidade do anúncio: a qualidade do anúncio pode ser definida por vários fatores, como densidade de texto na imagem, feedback do usuário, etc.

Estratégias de lance

Trata-se de como o Facebook ou Instagram vai utilizar o orçamento de determinada campanha ou conjunto de anúncios. Dentre os formatos disponíveis, algumas estratégias permitem ter o maior controle sobre o lance desejado, enquanto outras deixa trabalhar com o poder do algoritmo do Facebook para ter o melhor desempenho nas campanhas.

Menor custo

Nesta estratégia, o Facebook controla o lance e busca entregar o menor custo e o máximo de resultado dentro do orçamento estabelecido.

Limite de custo

No limite de custo, o anunciante diz qual é o custo desejado para determinado resultado e o Facebook administra os lances para buscar chegar ao resultado, dentro do possível. Em alguns casos o custo pode ser mais alto, conforme as oportunidades mais baratas são esgotadas.

Limite de lance

Neste caso o anunciante controla o lance máximo que deseja pagar por resultado. Em alguns casos, se o lance (e os outros fatores) perderem no leilão, o Facebook pode não entregar a campanha completamente.

Tipos de orçamento

Como foi falado, o anunciante controla o valor que quer gastar em seus anúncios. O controle, por sua vez, é feito de duas formas: no nível do conjunto de anúncios ou no nível de campanha.

O controle no nível de conjunto de anúncios permite determinar o orçamento na etapa de configuração geral do grupo de anúncios, onde são controlados os públicos, posicionamento, etc.

Já o orçamento no nível de campanha – também chamado de CBO (campaign budget optimization) – é um novo formato de controle de orçamento onde deixa os conjuntos de anúncios livres para consumirem a verba disponível de acordo com sua performance. O Facebook Ads vem anunciando que a estratégia de CBO será a única disponível na plataforma, porém até a data deste artigo o controle no conjunto de anúncios ainda estava disponível.

Na prática, o controle no nível de conjunto de anúncios permite um maior controle do orçamento, mas pode acabar pulverizando muito a verba disponível, dificultando o gerenciamento das campanhas.

Existem ainda duas formas de gerenciar o orçamento: através do orçamento vitalício, onde determina-se um valor total para uma determinada campanha, com início e fim; ou pelo orçamento diário, onde determina-se um valor diário e não cumulativo para o consumo do orçamento. As duas modalidades funcionam principalmente como uma forma de organizar o trabalho do dia a dia, mas é interessante testar em diferentes casos para ver qual é a que vai trazer maior performance.

Métodos de cobrança

As cobranças na veiculação de anúncios no Facebook, no geral, são realizadas através do Cartão de Crédito ou Débito, via PayPal ou para algumas contas via Boleto Bancário. Existem duas formas de cobrança: através de pagamentos automáticos ou pagamentos manuais:

  • Nos pagamentos automáticos o Facebook Ads fará cortes quando o valor consumidor atingir determinado valor, à critério do Facebook. Este modelo está disponível para pagamentos via Cartão de Crédito/Débito ou PayPal;
  • Já nos pagamentos manuais, o anunciante coloca um saldo pré-pago na conta sempre que quiser anunciar. O saldo pré-pago normalmente é inserido através de pagamento com boleto bancário, apesar de que é possível inserir o saldo com cartões de crédito e débito ou PayPal.

Existe ainda o pagamento faturado (pós-pago), onde o Facebook emite uma cobrança ao final de um mês de uso. Porém para ter essa opção, é preciso cumprir certos requisitos e passar por análise por parte do próprio Facebook.

Afinal, quanto devo investir no Facebook?

Como foi visto, o anunciante tem o total controle do quanto será pago ao Facebook através do orçamento, que é definido no nível da campanha ou conjunto de anúncios. Mas para determinar o quanto investir, é preciso ter muito claro qual o seu objetivo e meta.

Por exemplo, se você sabe que para realizar 1 venda são necessários em média 100 cliques em um anúncio, e se o valor médio de cada clique custa R$ 0,25, então para ter uma venda você precisa investir R$ 25,00. Se sua meta dentro de um mês é obter 100 vendas, então o valor a ser investido deverá ser de R$ 2.500.

Essa foi uma conta bem simplificada. Para ter uma projeção mais próxima da realidade, é preciso levar em fatores como CTR, qualidade do anúncio taxa de conversão, etc. Se você ainda não tem dados o suficiente para projetar o que deve ser investido, aconselhamos começar investindo um valor pequeno e ir aumentando conforme o resultado.

Quer anunciar sua empresa no Facebook ou Instagram de forma profissional?

A Upster conta com analistas especializados em Facebook Ads que vão ajudar e levar sua campanha para outro nível.

Como anunciar no Facebook Ads?

Anunciar no Facebook Ads permite sua empresa se conectar com o seu público-alvo na maior rede social do mundo. Uma das grandes vantagens de se anunciar na plataforma é sua alta capacidade de segmentação de públicos-alvo. Através de dados como faixa etária, gênero, localidade e interesses o Facebook Ads consegue, mesmo em uma Rede Social com mais de 130 milhões de usuários no Brasil, entregar seus anúncios exatamente para aqueles mais propensos a interagir com seus produtos ou serviços. A seguir mostraremos como começar a anunciar no Facebook.

1. Configurar o Gerenciador de Negócios

O primeiro passo é a criação de um Gerenciador de Negócios. Ela é a ferramenta que permite administrar seus ativos do Facebook que estão relacionados a seu negócio, como páginas e contas de anúncios. Para cria-la, acesse https://business.facebook.com/. Nela o Facebook irá solicitar o nome de sua Empresa, a página dela no Facebook (se ainda não tem, você pode cria-la aqui) e por fim o seu nome e e-mail.

A seguir é preciso a criação de uma Conta de Anúncios. É dentro dela que acontece a criação, segmentação, acompanhamento do desempenho e otimização das campanhas que você irá anunciar no Facebook. Para cria-la é necessário acessar, dentro do Gerenciador de Negócios, as Configurações do Negócio. Dentro da aba Contas, acesse a opção Contas de Anúncios. Clique em “criar uma nova conta de anúncios” e siga as instruções.

2. Instalar o Pixel

A instalação do Pixel do Facebook em seu website permitirá que você acompanhe o desempenho de seus anúncios. É ele que vai fazer a conexão de dados do seu site com o Facebook, permitindo você saber, por exemplo, se uma visita teve origem de um anúncio em veiculação no Facebook. Além disso é esse pixel que permite você trabalhar com algumas estratégias de remarketing.

3. Criação de Públicos

Conhecer o público para quem você irá divulgar no Facebook os seus anúncios é um dos pontos cruciais para o bom desempenho de qualquer campanha. E para que você seja certeiro nessa ação, será indispensável a utilização de Públicos do Facebook.

Há 3 tipos principais:

– Públicos Personalizados

É o público que teve algum tipo de interação com o seu negócio, seja eles pessoas que visitaram o seu site ou que interagiu de alguma forma com sua página do Facebook ou Instagram.

– Públicos Semelhantes

Os públicos semelhantes permitem que você encontre pessoas similares a clientes de sua base. O que leva essas pessoas a terem mais probabilidade de interagir com seus anúncios.

– Públicos Salvos

Já os públicos salvos são aqueles definidos dentro de uma campanha através de dados como a faixa etária, gênero, localização, dados demográficos e interesses.

4. Criação das Campanhas

Por fim, chegamos a fase da criação dos anúncios e é importante primeiramente conhecermos sua estrutura em termos de hierarquia. No primeiro nível encontra-se as Campanhas, seguida pelos Grupos de Anúncios, que por sua vez contém os Anúncios. Abaixo entenderemos um pouco melhor sobre cada um.

a) Campanha

A primeira parte da criação de um anúncio consiste em criar uma campanha para ele. É nela que você irá definir o objetivo de seu anúncio, os quais estão divididos em 3 categorias: Reconhecimento, Consideração e Conversão. Dentro de cada categoria há objetivos mais específicos como tráfego, envolvimento, conversões, entre outros. Você também pode estipular o orçamento nesse nível ou no nível dos Conjuntos de Anúncios.

b) Conjunto de Anúncios

É aqui que você definirá que público quer atingir, os posicionamentos de seus anúncios na rede do Facebook e também o orçamento e programação, caso você escolha otimizá-lo a nível de Conjunto de Anúncio. Nesse nível você poderá selecionar que tipo de evento de conversão você tem como objetivo dentro do seu site através do anúncio veiculado. E ajudará o Facebook a otimizar a entrega de seus anúncios dentro de sua rede.

c) Anúncios

Por fim, chegamos onde ocorre a montagem do criativo de seu anúncio com textos e mídias. Há vários tipos de formatos para a veiculação: anúncios de Foto, Vídeo, Story, Messenger, Carrossel, Apresentação Multimídia, Coleção, Reprodução, Experiência Instantânea, Formulário de Leads, além dos anúncios dinâmicos, no qual é possível divulgar o catálogo todo de uma loja ou até mesmo reimpactar clientes que já interagiram com o negócio, com produtos de acordo com o gosto de cada um.

Como anunciar no Facebook de forma profissional!

Aqui na Upster somos especialistas em gestão de Anúncios no Facebook e podemos maximizar o retorno sobre o seu investimento em mídia. Conte com uma empresa profissional para fazer a gestão das suas campanhas de levar seu negócio para outro nível.